Mulheres Empreendedoras

Por que a questão da força de trabalho das mulheres é tão importante em nossa pauta?

Cada vez mais mulheres têm se lançado como empreendedoras tanto no Brasil como na Itália. O caminho do negócio próprio é uma das alternativas para aumentar a rendimento ou até mesmo se tornar a principal fonte de renda. Nos últimos quatorze anos, o número de empresárias subiu 34%, segundo o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Em 2014, o Brasil tinha 7,9 milhões de empresárias.

Na Itália também está em crescimento o empreendedorismo feminino. Muitas destas empresas ajudaram o país a sair da crise econômica. Segundo o Censis – Confcooperative são as empresas guiadas por mulheres as que mais crescem nas áreas metropolitanas do Centro e do Sul da Itália. Entre 74 mil empresas registradas, 21,8% são lideradas por mulheres. Segundo o presidente da Confcooperative Maurizio Gardini, “as mulheres tiveram o talento de transformar os fatores de desvantagem – como o preconceito de gênero – em elementos de competitividade, conseguindo antecipar as novidades do mercado, tanto que a retomada após a crise foi toda alavancada pelas mulheres”.

Um levantamento da Global Entrepreneurship Monitor (GEM), que é a principal pesquisadora de empreendedorismo do mundo, aponta que 51,2% dos empreendedores que iniciam negócios são mulheres, o que contribui para o aumento da sua autonomia. A mudança e transformação social só pode acontecer se levarmos em conta e promovermos estas mudanças.

Além disso, a renda obtida pelas mulheres tem ganhado cada vez mais importância no orçamento familiar. As mulheres já ocupam 43,2% dos cargos de gerência nessas micro e pequenas empresas.

Por experiência própria sei o quanto o campo da indústria têxtil e da moda geram de renda e empregos e proporcionam uma sinergia de trabalho entre a Itália e tantos outros países, é importante que o Brasil se alie cada vez mais a este setor. Na Itália 27,2% do setor têxtil e moda é guiado por mulheres estrangeiras. Outra experiência interessante na Itália é o numero de cooperativas organizadas e compostas por mulheres, o crescimento lá é de 4,1% nos últimos dois anos, responsável por 40% do crescimento geral.

Aqui no Brasil, um levantamento do Sebrae traçou o perfil das empresárias, que são sobretudo jovens: 40% delas são mulheres com menos de 34 anos que estão concentradas principalmente em quatro áreas de atuação: restaurantes, serviços, beleza, moda, decoração e comércio de cosméticos. A maior parte empreende dentro de casa.

Para incentivar este crescimento que é tão importante para a transformação de ambos os países, Brasil e Itália, e também para o desenvolvimento e a autonomia das mulheres, é importante que se criem politicas públicas, intercâmbios e oportunidades.

Nossa chapa Civica Popolare é a única que possui mais do que 50% dos integrantes mulheres. A transformação do mundo e o bem-estar social e econômico passa também, e sobretudo, pelo caminho da igualdade de gênero.

FONTES:

http://www.vita.it/it/article/2017/07/13/le-donne-e-la-scelta-di-fare-impresa/144015/

http://www.brasil.gov.br/economia-e-emprego/2017/03/empreendedorismo-feminino-cresce-34-em-14-anos

Mulheres empreendedoras